FOME GORDA E INTELIGÊNCIA EMOCIONAL

FOME GORDA E INTELIGÊNCIA EMOCIONAL


A conexão entre fome gorda e queda do humor e da inteligência emocional é polêmica pelo fato de envolver poderosos grupos econômicos que lucram com alimentos de má qualidade em termos nutricionais, geradores de doenças físicas aliadas à obesidade e doenças mentais como a depressão, distúrbios cognitivos e psicomotores, males de Alzheimer e de Parkinson, lucro esse proveniente de medicamentos patenteados.
A relação e/ou conexão de tais enfermidades com o erro alimentar – e não com os propalados fatores genéticos – torna-se evidente ante a circunstância de que as referidas doenças mentais triplicam nos últimos 20 anos, ou seja, em menos de uma geração, em decorrência da invasão da Pirâmide Alimentar Americana em todos os continentes, acarretando o consumo desenfreado de carboidratos refinados e óleos “trans” e diminuindo a ingestão de ovos ecológicos, peixe e vegetais do tipo frutas, verduras e legumes orgânicos. Estes são os alimentos mais indicados na prevenção tanto da fome gorda, dez vezes mais freqüente que a fome magra em pobres da população brasileira, quanto da depressão e da diminuição da inteligência emocional responsável por quatro vezes mais suicídios que na China tradicional, onde se come até a cabeça do peixe e os ovos de patos de regiões ricas em frutos do mar ou mesmo de águas ribeirinhas, sem temer o mito do colesterol ruim.
O ovo de aves aquáticas tende a possuir dez vezes mais Omega 3, óleo que previne a depressão e suas conseqüências, ou seja, a pirâmide das mortes violentas: suicídio, homicídio, acidente de trânsito e a escalada de drogas. O Omega 3 é “sabotado” no organismo pelo açúcar refinado, excesso de pão (glúten) leite e queijo (caseína), margarina “trans”, café misturado com milho torrado e, mais recentemente, a soja transgênica que dificulta a digestão das proteínas das carnes brancas e vermelhas, do glúten e da caseína, produzindo queda do humor e da inteligência emocional.
Atualmente, 95% da população têm deficiência de Omega 3, a principal gordura do cérebro, cuja composição é de mais de 60% de gordura combinada com os fosfolipídios do ovo orgânico, caipira, que tem seis vezes mais vitaminas antioxidantes do tipo carotenóide e três vezes mais vitamina A que o ovo comum, sendo que até dez vezes mais Omega 3 quando as aves são criadas à beira da água, com acesso a frutos do mar, por exemplo, nas ilhas gregas.
O açúcar refinado e as farinhas refinadas não têm minerais essenciais e ainda roubam do sangue, levando pela urina, cromo, zinco e magnésio, três minerais que influenciam, segundo as pesquisas da nutrogenética, a produção de serotonina, a qual, por sua vez, controla a fome da tarde e da noite, diminui a insônia e reduz a queda de açúcar na região frontal do cérebro correlacionada a distúrbios depressivos, suicídio, criminalidade, bloqueio da inteligência emocional.
Um médico epidemiologista da marinha britânica correlacionou à entrada da dieta da Pirâmide Alimentar Americana coma obesidade, diabete, depressão (20 anos após), o que explicaria a razão pela quais as depressões são mais freqüentes 20 anos depois de erros alimentares, isto em virtude da perda progressiva daqueles minerais detectáveis em mineralograma do cabelo, exame utilizado pela psiquiatria ortomolecular e ponto de partida para a pesquisa da depressão, obesidade e problemas de inteligência emocional.
A dieta paleolítica (peixes, ovos, frutas, verduras, etc.) utilizada pelo homem no último milhão de anos fez com que o cérebro desse um salto de 400 gramas para 1.400 gramas. A medicina ortomolecular tem como meta regenerar o cérebro humano, vitimado pelo estresse oxidativo, mas também provocar a sua expansão com uma dieta similar à paleolítica alicerçada em bases científicas. A propósito, as células-tronco são mantidas em laboratório em caldos nutricionais, o que dá uma idéia da dimensão e do alcance da matéria (nutrição celular, nutrição cerebral).

Dr. Juarez Nunes Callegaro 

- Graduada em Fisioterapia – Universidade Estácio de Sá - Especialista em Drenagem Linfática Manual - Pós-Graduada em Fisioterapia Dermato-Funcional, e Cosmetologia. - Diretora do Instituto de Estética e Fisioterapia Aplicada - Formação em Estética Ortomolecular - Formação em Método Leduc – RJ - Formação em Método Vodder Argentina - Coordenadora em cursos de: Rejuvenescimento Facial; Decapagem Biológica; Peeling Facial, Corporais e Capilar.

2 Comments

  1. Greetings! Quite valuable assistance on this informative article! It truly is the minor adjustments that make the most important alterations. Many thanks a whole lot for sharing!

    Reply

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

You may use these <abbr title="HyperText Markup Language">HTML</abbr> tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

People Who Like Thisx

Loading...